2 de fev de 2010

Dia 2 de fevereiro de 2006

Lendo o livro virtual "O Chefe", de Ivo Patarra sabe-se que há quatro anos, exatamente no dia 2 de fevereiro de 2006, a Polícia Federal indiciava o publicitário Duda Mendonça e Zilmar Fernandes Silveira, sua sócia.

Os dois teriam que responder por evasão de divisas e lavagem de dinheiro, por operações em paraísos fiscais. Duda aplicou um "borogotó, nem sinal" na Receita Federal naqueles R$ 10,5 milhões que admitiu ter recebido do PT no exterior, "por serviços prestados na campanha eleitoral de 2002".

Ele comeu em tranca também que era o dono da offshore Dusseldorf, uma lavanderia ensolarada de dinheiro nas Bahamas.

Duda que até hoje mantém lascas de contrato para serviços de propaganda à PTrobrás é hoje o preferido da pré-dandidata Dilma Roucheffe-da Casa Civil para a coordenação de sua pré-campanha pré-publicitária à Presidência da República. Quem trata do grosso dessas coisas para o governo Lula é ainda o marqueteiro João Santana. (Fonte: O Chefe - de Ivo Patarra)

BINGO!

A CPI dos Bingos divulga que foram identificadas 80 ligações telefônicas entre Ademirson Ariosvaldo da Silva, secretário particular do ministro Antonio Palocci (PT-SP), e a empresa Cincotelecom Telecomunicações e Serviços, relacionada ao empresário Roberto Carlos Kurzweil e aos angolanos Artur José Valente Caio e José Paulo Teixeira Figueiredo.

Caio e Figueiredo teriam sido proprietários de casas de jogos de bingo em São Paulo e de uma empresa de fabricação de máquinas de jogos caça-níqueis. Teriam doado R$ 1 milhão para a campanha de Lula, dinheiro supostamente entregue a Palocci.

As ligações telefônicas ocorreram entre dezembro de 2002, após a eleição de Lula, e agosto de 2003, no primeiro ano do governo do PT. Palocci já ocupava o cargo de ministro da Fazenda. (O Chefe - de Ivo Patarra).

RODAPÉ - Hoje livre, leve, solto e com o salvo-conduto que o governo Lula concede às "pessoas não comuns" Palocci está anunciando que resolveu não concorrer ao governo de São Paulo.