13 de fev de 2010

Precisa que haja vento sem parar

O senador Pedro Simon, gaúcho habitual dos plenários vazios de sexta-feira enche com seus discursos as pautas vazias de week end dos jornais.

Ontem resumiu, com a costumeira franqueza, o que o escândalo do panetone quer dizer: "A prisão de Arruda mostra que político pode ir para a cadeia. Banqueiro ainda não porque o presidente do Supremo manda soltar".

Ele se referia à incompreensível soberania de Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), que mandou soltar Daniel Dantas em 2008. É disso que ele falava.

Mas ele ainda simoneou um pouco mais: "Ontem foi um dia histórico. Foi o dia em que o Brasil falou chega de impunidade".

Certamente a euforia supera a realidade. A pena de Arruda é pluma. Voa leve e tem a vida breve; precisa que haja vento sem parar - ensinaria, como um dia cantou, Vinícius de Morais.