4 de set de 2010

Por onde passa boi passa boiada

QUEBRA DE SIGILO
Guido Mantega, nesta quinta-feira, aos repórteres: "Quebra de sigilo na Receita já foi bem maior". Disse isso assim mesmo, como se falasse de um campeonato para ver quem é mais safado. Disse que nem sequer cogita em demitir o chefe da Receita Federal. Faz sentido. Não é por confiança é só para não queimar o arquivo.

BANALIZAÇÃO
Essa cultura da banalização de tudo que é sério se espalhou que nem cobra pelo chão no governo Lula. O ministro da Fazenda diz com a maior naturalidade que quebra de sigilo sempre existiu no Brasil. Bolas, esse país está há oito anos sob o governo Lula! Se apenas um sigilo tivesse sido violado, isso já seria um escândalo. É aquela velha história: por onde passa um boi passa uma boiada. Quem rouba um tostão, rouba um milhão.

LAVANDERIA
Em Esteio, no Rio Grande do Sul, diante do dilema se deveria mandar um bezerro para Lulinha ou para Joaquim Roriz, Lula banalizou o episódio da quebra de sigilo de Verônica, filha de Zé Serra. Como banaliza até hoje o enriquecimento vertiginoso de seu filho Lulinha, o gênio das finanças que saiu do Zoológico de São Paulo.

Dá para notar que para Lula, essas coisas de família são roupas sujas que devem ser lavadas em casa. Se assim fosse, Lula estaria levando uma enorme vantagem: ninguém no mundo tem uma lavanderia como a do PT, partido ao qual preside com honra.

LULA SABIA
Em entrevista ao iG nesta sexta-feira, Zé Serra afirmou ter avisado Lula da Silva sobre uma suposta quebra de sigilo fiscal de sua filha, Verônica Serra. A conversa, disse Serra, teria sido em janeiro deste ano, na mesma ocasião em que contou ao presidente que planejava representar o PSDB nas eleições presidenciais. Serra, falando ao iG jogou a responsabilidade sobre o vazamento de informações da Receita Federal sobre a postulante Dilma.

PULO DO GATO
Lula negou ontem mesmo que tenha sido alertado por Zé Serra, sobre a violação de dados sigilosos de pessoas ligadas ao PSDB. Lula disse a jornalistas, na Expointer em Esteio, que o tucano apenas se queixou do conteúdo publicado na internet. Para ele, Serra deveria se concentrar em sua campanha. E aí, deu o velho pulo do gato.

Cercado de aduladores, orelha das vaias entupido, entre um gole lá que outro de chimarrão festivo, o presideus jogou Serra na pá do ventilador contra a rede mundial de comunicação virtual: “Acho que o nosso adversário deveria procurar um novo argumento. Não é possível que um homem que se diz tão preparado para presidir o País, que se diz tão preparado para presidir os destinos de 190 milhões de vidas, queira que o presidente Lula censure a internet". Disse isso assim mesmo, como se fosse de internet que Zé Serra estava lhe falando.

BATALHA DE PAPEL
Dilma diz que Serra solta factóides por desespero. É. Serra está mesmo perdido, o que podem os factóides contra os dossiês?!? E, em matéria de papel, a Mãe do PAC é imbatível. Seja dossiê, ou um canteiro de obras, tudo fica no papel. (Fotos: R. Stuckert/PR)

A CARA DO CARA
Alguém já imaginou o ar de banalização que o Cara faria se quebrassem o sigilo do seu cartão corporativo?!

POR ACASO É DO PT

Enquanto isso, descobriram até que enfim que Antonio Carlos Atella Ferreira, contador especializado em manobras fiscais, que usou procuração falsificada para conseguir informações sigilosas sobre Verônica Serra, já foi filiado a um partido político. Por acaso, ao PT.