20 de mai de 2010

Tiro e Queda

NUNCANESSEPAÍS
Ficha Limpa vai parar no colo de Lula, o mais ilustre ficha suja pelo TSE que já o condenou três vezes por desrespeito à lei eleitoral. Nuncanahistóriadessepaís um presidente fora condenado por um tribunal eleitoral. Isso aí vai ser tiro e queda: fica pra depois.

NO EMBALO
O Congresso botou também no colo de Lula o fim do fator previdenciário e o aumento de 7,71% para os aposentados que ganham mais de um salário. Vai vetar, pois do contrário o governo não poderá mais usar cartão corporativo, nem gastar o que gasta; muito menos mandar dinheiro para Honduras, Haiti, Guatemala, Paraguai, Bolívia, Venezuela e outros países menos votados na hora de arranjar uma cadeira na ONU para um megalomaníaco desses que andam por aí à cata de amizades rufiãs.

O PAC DO IRÂNIO
Fiasctóide de Lula no Irã virou, na ordem mundial, PAC do Irânio Resciclável. A cadeira de Lula na ONU está pra lá de Teerã.

DANÇANDO E ROLANDO
Não, não é que o Santos tenha feito três gols no Grêmio; é que um foi mais bonito que o outro. Essa molecada tem mais é que dançar e rolar.

PREFERÊNCIA
Depois que o árbitro ganhou o jogo no primeiro minuto, Ricardo Gomes diz que prefere rival brasileiro na semifinal da Libertadores. A torcida prefere Telê Santana até hoje.

BANCO VASCAÍNO
Desgostoso com a reserva que Ricardo Gomes inventou para ele, Washington o dinamitado goleador são-paulino na temporada diz que vai voltar para o futebol paranaense. Bobagem, o Vasco tá caindo de maduro.

MANDANTE
O que Ricardo Gomes fez com Washington, Luxemburgo está fazendo com Marques no Atlético de Minas Gerais: aposentou o atleta.

FURADEIRA LETAL
Na zona norte do Rio de Janeiro, um homem que segurava uma furadeira foi morto com um tiro de fuzil, disparado a 40 metros de distância, por um cabo do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro. O inocente era o fiscal de supermercados Hélio Ribeiro, de 46 anos.

Ele instalava um toldo no terraço de sua, enquanto rolava uma incursão policial em um dos acessos ao Morro do Andaraí, na zona norte da capital fluminense. A viúva, Regina Célia, disse que o marido foi atingido de frente e que, em seguida, os policiais apontaram os fuzis para ela e ordenaram, gritando, que ela se deitasse no chão.

Hélio segurava uma furadeira elétrica com fio que media cerca de 24 centímetros. Dessa vez não deu para plantar uma metralhadora ao lado do morto, nem acusá-lo de ser traficante. O preparado cabo se apresentou à 20ª Delegacia de Polícia, em Vila Isabel, e vai responder em liberdade por homicídio doloso.