23 de mai de 2010

DOMINGUICES

REFORÇO - Mano Menezes anuncia que o Cortinthians hoje vai jogar reforçado: Ronaldo Fenômeno está fora da partida contra o Fluminense. Mais dois jogos no banco de reserva e a Bozzano manda Mano Menzes procurar emprego.

A VOZ DO VESTIÁRIO - Presidente do Palmeiras foi ao Uzbequistão, atrás do Felipão. Desistiu de contratá-lo. O treinador agora abandonou o português e só fala uzbeque. Mais uma bobagem da direção palmeirense: deveriam contratá-lo exatamente por isso. Os jogadores não entenderiam nada das suas preleções.

IRA x HOOLIGANS - O zagueiro do Everton, da Inglaterra, Shane Duffy teve o fígado dilacerado durante um jogo-treino contra a seleção irlandesa, na última sexta-feira, em Malahide, na Irlanda. O ferimento aconteceu quando o atleta da equipe inglesa dividiu uma bola com o goleiro adversário. Isso não é jogo amistoso coisa nenhuma; é um ataque do IRA. O boletim médico anuncia sua pronta recuperação. Mais uma ação frustrada do grupo revolucionário irlandês que já se prepara para enfrentar a vingança dos hooligans.

MEDO DE GANSO - Paulo Ganso - um jogador moderno que fez renascer o velho Danilo, o Príncipe - punido por ter chegado atrasado na concentração do Santos, reclamou do regime que lhe foi imposto e já levou outra reprimenda. Está em campanha contra ele mesmo e faz de tudo para não ser levado para a África do Sul. Vai ver tem medo de arco e flecha, leões, girafas...

EPA! - O técnico Dorival Júnior não gostou das declarações de Ganso e já decretou: "O Paulo é um empregado do clube, com direitos e deveres a serem cumpridos". E falando como se ele próprio também não fosse um empregado do clube, se meteu de pato a ganso: "Respeito a opinião dele, mas não concordo. Até porque, o Paulo Henrique não tem que exteriorizar isso". Epa! Aí já não é mais futebol; é petismo explícito. O Dorival tá que nem o outro, não pode ler nem ouvir nada que não lhe agrade porque logo tem azia.

PIRES NA MÃO - Os mais de quatro mil prefeitos que estiveram com pires na mão em Brasília, na semana passada, voltaram para casa com o saco cheio de promessas. Lula disse para todos, sem olhar cores partidárias, que iria fazer e acontecer. Podem esperar sentados: o corte de R$ 10 bilhões no Orçamento, patrocinado pela equipe econômica para segurar a inflação que já galopa nos calcanhares do presideus acabou com as alegrias de todo mundo. Fica assim pra ver como é que fica. De novo e como sempre.

A BRUXA - A procuradora malvada continua dizendo que não bateu na criança, só a chamou de "cachorra", filha disso e filha daquilo "porque não queria comer e me irritou. Perdi a paciência". As ofensas verbais acabaram machucando o olho, ferindo os braços, as costas e arranhando o corpo todo da menina de dois anos. Tem que continuar em cana. Por bruxaria. A foto é uma singela reprodução chupada do seu "álbum de família" que foi parar na revista Veja e tem a ver com uma visita da procuratriz ao Canadá. Mostra que, ao contrário da garotinha, ela não precisa levar uns tabefes nem ser chamada de "cachorra" para traçar um cachorro-quente. E nem precisa mesmo.


O FATOR VERDE - Para crédulos, a pesquisa Datafolha deste fim de semana mostra que Zé Serra e Dilma estão empatados num clássico 37 x 37. Revela que Dilma subiu e Serra desceu. Marina Morena foi para honrosos 12%. Isso quer dizer que Marina, aquela por quem Dilma não morre de amores, está seduzindo o eleitorado que já não ama Serra.