24 de mai de 2010

É aí que mora o perigo!

Não pense que Lula pensa no Brasil nessa folia turística que realiza desde que chegou ao Palácio do Planalto em 2002. Deu mais de 80 voltas ao mundo em menos de 8 anos, só para mostrar que nuncanahistóriadessepaís FHC foi ou será maior estadista do que ele. É uma questão de birra, de desaforo ao foro íntimo.

Se pensasse mesmo no Brasil teria feito, nesses oito longos e viajados anos, pelo menos um bom negócio para o país. Unzinho, nem precisava mais. Teve tempo de sobra para isso. Mas no que foi que as viagens do Marco Polo verde-amarelo melhoraram, caríssimo trabalhador brasileiro, a sua vida, a vida de sua mulher, dos seus filhos; a vida do vizinho; a vida da mãe Joana?!?

Peça para ele, ou peça em paz para a nova dona de Casa Civil, a Erenice Guerra, um dossiê completo com os resultados práticos dessas andanças pelo mundo afora. Não se espante, no entanto, se esse dossiê tomar chá de sumiço para reaparecer em forma de um inocente banco de dados.

Você verá, mesmo olhando com bons olhos, que nessa papelama, ainda que devidamente maquiada, o Brasil vai aparecer fazendo papel de bobo da Corte internacional. Haverá em cada página virada um sinal de riso e de escárnio da diplomacia mundial para cima do inocente útil, do matuto faceiro e exibido que, saído de Garanhuns, pretende uma cadeira na ONU e vai levar um chá de banco.

A escalada desenfreada de Lula pelos confins do mundo que, inexplicavelmente para ele, apesar de quatro cantos tem cinco continentes, paga mico em tudo e por tudo. E paga caro. Lula distribui o dinheiro de nossas burras públicas, como se dele fosse.

Com isso, ele ganhou para o Brasil a fama de babaca perdulário; tipo assim o velho e batido filhinho de novo-rico que atira dinheiro pro ar, só pra fazer bonito para aqueles que estão olhando. É o Cara que não deixa ninguém pagar a conta. E gorjeta é o que não falta.

Baixinho e sem medo de ser feliz, Lula cresce quando diz que é o Brasil. A Argentina finge que entende e mete pilha no ego lulático que acende a chama quase morta do Merdosul. Para qualquer garçom de boteco ou casa de tango em Buenos Aires, gorjeta é propina. Lula trata com naturalidade esse costume.

E faz questão de sentar na cabeceira, pelo simples prazer de ser o gatilho mais rápido dos cartões corporativos desse fim de mundo que Lula pensa ser o começo. Foi só por isso - porque o mundo começa ou termina por aqui - que se pegou a Argentina como ponto de partida. Ou de chegada.

Pulando e andando para o Chile que nem nos dá bola; para o Paraguai que nos cutuca com Itapu; para o Peru que às vezes até endurece com a manemolência brasileira; pulando e andando para a Colômbia que nos enche de pó; pulando, andando e saltando no colo de Fernando Lugo, o bispo-papão do Paraguai; salteando os braços do uruguai, do Equador, os abraços da pobre Bolívia, Lula leva o Brasil a ajoelhar e rezar diante da Venezuela do histriônico e aloprado Hugo Chávez; pulando e andando sobre a carcaça de Cuba, Lula saltita dali até Miami, de onde vai parar em Washington para se fazer amigo e ídolo de Barack Obama - esse sim, presidente do mundo.

Ali, satisfeito por que, aos risos, o xerife bondoso do planeta lhe oferece uma grande maçã e o chama de Cara, ele sai aos pulos e anda um pouco pela Europa - aquele continente velho e empobrecido onde fica um tal de FMI que o magnânimo Lula abastece, de quando em vez, com U$ 10 bilhões dos nossos cofres que não podem sequer pagar os aposentados conforme lhes é devido.

Como é perdulário e tem por paixão por aparentar e distribuir riqueza Lula abraça um Muar Khadaffi aqui, um Mohamoud Ahmadinejad ali e defende teses belicistas que, em nome da ânsia pelo Nobel da Paz, os animam a ser o grande mediador do conflito gerado pelo enriquecimento de urânio a 20% pelo Irã que tem pavor de guerra. Conseguiu produzir o primeiro grande fiasctóide do terceiro milênio. Nesses tempos bicudos que vem por aí, vai ser dificil de ser superado.

Lula agora já sabe que, ao fazer-se amigo de ditadores como Fidel, Chávez, Khadaffi, Mohamoud, Zelayas e alguns muares golpistas lá que outros, entrou na contramão do mundo que vira as costas para essa gentalha que só deseja mesmo é pegar o mundo para eles, como o próprio presideus Lula e seus discípulos estão pegando o Brasil.

Nessa última volta para casa, em mais uma rápida visita ao Brasil, Lula soube das reações de Barack Obama lá nos Estados Unidos. E ficou sabendo também de sua pronta ação de repúdio ao acordo que fez o primeiro-ministro turco assinar em Teerã. Ousado e balaqueiro, Lula já ensaiava uma fanfarronice, um desaforo bem à brasileira contra o presidente norte-americano, quando foi informado que Barack Obama não estava brabo... Apenas não conseguia parar de rir.

Nuncanahistóriadessepaís um presidente da República esteve tão longe do Prêmio Nobel da Paz e de uma cadeira na ONU. Lula já sabe disso. E aí é que mora o perigo.