10 de jul de 2010

Rei da Espanha não consegue dormir sossegado

Depois de mais um giro internacional, dessa vez pela África do Sul, onde se limitou ao seu esporte preferido - não fazer absolutamente nada - Lula da Silva, aquele que agora se chama de Dilma, voltou ao Brasil para mais uma breve visita.


Seu regresso se deu sob a desculpa de que o seu vice, Zé Alencar, não está bem de saúde. Diz isso assim, como se em algum dia desse governo Alencar não estivesse doente.

O retorno do presideus, na verdade, esconde um segredo de polichinelo: o medo que Zé Sarney assumisse, por um átimo de segundo que fosse, a cadeira de presidente da República. Lula sabe que pegaria mal. Afinal, amigos, amigos, eleições à parte.

Veio um pouco também porque, no meio da viagem de recreio pelo país da Jabulani, o time de Dunga frustrou seus planos de sentar-se no camarote de honra, com visibilidade internacional garantida a mais de 3 bilhões de pares de olhos. Dunga deu os doces antes do almoço e Lula não teve assim, sequer a oportunidade de azarar o grupo de Felipe Melo, Grafite, Josué, fulano, beltrano e Elano e seus jorginhos amestrados.

Lula, o que gosta de ser chamado de Dilma, está de volta. É só mais uma visitinha breve, assim que Zé Alencar saia do hospital e então sem correr o risco de Sarney assumir o Palácio e prejudicar a trajetória da postulante Dilma até a rampa, Lula retorna - conforme já anunciou - à Africa. Para mais uma temporada turística, é evidente.

Com o amargo regresso de Lula, os técnicos da Espanha e da Holanda, respiraram aliviados. Disputarão o título sem qualquer risco de que, num de seus rompantes de grande entendido de qualquer coisa, resolvesse apontar um vencedor.

Uma informação de bastidores: Paulo Radin, o monarca-presidente da Holanda mentiu para o rei da Espanha que Lula vai torcer pela "Fúria". Faz três dias e três noites que Juan Carlos Alfonso Víctor María de Borbón y Borbón não consegue dormir sossegado. Só pensa naquilo: - Por qué no te callas, Lula?!? Por qué?!?...