17 de jul de 2010

Presidente da SIP: "Lula, é um falso democrata".

Para Alejandro Aguirre, presidente da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), Lula da Silva é um dos "falsos democratas" da região. A SIP agrega 1.300 meios de comunicação.

Aguirre afirmou que o caráter de "falso democrata" de Lula tornou-se evidente com a estreita relação do presidente brasileiro com Fidel e Raúl Castro, de Cuba e pelos vínculos de Lula com líderes eleitos democraticamente, mas que "estão se beneficiando da fé e do poder que o povo neles depositou para destruir as instituições democráticas".

O dedo de Aguirre foi apontado para a falsidade de Lula durante reunião da SIP em Washington:

"Esses governos não podem continuar a se chamar de democráticos. O voto é componente sumamente importante na democracia, assim como a atuação dos governantes".

O presidente da Sociedade Interamericana de Imprensa, instado a fazer uma avaliação de Lula, não teve papas na língua:

"Eu vi governantes com uma grande delicadeza com o presidente Castro, o que representa um grande apoio moral a esse governo, que violou os direitos humanos por meio século" - disse Aguirre sem medo de provocar azia no governante brasileiro. O indagador de encomenda levou nos dedos.

E tomou pela cabeça. Para Aguirre, o governo Lula está na lista dos que "atacam" os meios de comunicação. É farinha do mesmo saco em que estão socadas as administrações de Hugo Chávez, da Venezuela; de Cristina Kirchner, da Argentina; de Rafael Correa, do Equador; de Evo Morales, da Bolívia; de Daniel Ortega, da Nicarágua; e de Porfírio Lobo, de Honduras.

E concluiu: "Esses governos usaram leis no Congresso, ameaças, subornos, publicidade oficial, atos judiciais sumamente arbitrários. Esses fatos são públicos".

Alejandro Aguirre repetiu o que os jornalistas sem patrão da webmedia podem dizer e dizem, sem correr o risco de perder emprego, espaço e a liberdade de credo, pensamento e expressão. Pelo menos, enquanto não cai um poste sobre suas cabeças.