30 de jul de 2010

Cadeira Vazia

Então tá, Marcelo Baumbach - porta-voz do dono disse que Lula telefonou - e telefonou mesmo - para a Colômbia e falou com o presidente Juan Manuel Santos que vai ser empossado no dia 7 de agosto, no lugar de Álvaro Uribe que mandou Lula não se intrometer no conflito entre colombianos e Hugo Chávez, comandante da Vuvuzela.

O Garanhão de Pelotas, reagiu bem à moda pampeira diante de Baumbach: - Ele pensa que a gente está de bombacha, tchê!

Baumbach disse que para Lula o assunto com Uribe "está superado". E resumiu para a imprensa os 15 minutos de ligação internacional contando que o gesto de Lula serviu para apaziguar os ânimos nesse momento de tensão entre Colômbia e Venezuela que não tem nada de "desentendimento pessoal".

Esse final de frase aí, não foi de Baumbach. É do Garanhão de Pelotas mesmo. Ele inclusive adianta que a repercussão da jogada de cintura de Lula para cima do novo presidente não repercutiu nem em rodapé dos jornais colombianos.

O jornal El Tiempo, de Bogotá, apenas reproduziu o que seu correspondente aqui no Brasil tinha ouvido do porta-voz do dono na coletiva no Palácio do Planalto. Santos até agora não tomou nenhuma iniciativa de dizer para seus eleitores que Lula havia lhe telefonado.

O outro jornal da capital colombiana, o La Republica deu uma nota dizendo que o presidente do Brasil vai estar em Caracas dia 6, véspera da cerimônia posse de Juan Manuel Santos, conversando com o comandante Hugo Chávez a respeito da Cúpula da Unasul semana que vem, em Quito.

Diz que vai tratar da participação do vuvuzelante Chávez, no jantar à noite com Uribe e da provável presença da dupla na posse de Santos em 7 de agosto - primeiro dia e primeira noite do governo Juan Manuel Santos.

Se essa cadeira ficar vazia na noite de 7 de agosto, não será desgosto nem novidade nenhuma. A cadeira que Lula deseja, quer e ama de paixão fica lá em Nova Iorque, na sede da ONU.