26 de abr de 2010

Dilma e sua voz

Serra não comentou, mas Dilma acusou o golpe de Ciro Gomes. Em mais um palanque sem Lula contando segredos de liquidificador no seu ouvido, ela meteu uma saia justa em Sérgio Cabral, ao dizer nos microfones - bem ao lado do governador - que não descartava subir em outros palanques, abrindo brecha inclusive para o casal Garotinho. Disse, como se estivesse muito à vontade num cadafalso, que "eu me julgo capaz, sim senhor! Fui secretária do governo gaúcho, fui ministra das Minas e Energia e da Casa Civil". Não falou do que foi que fez por lá esse tempo todo. Esqueceu de dizer que é a mãe do PAC. Ao falar, deixou evidente que sem Lula ao seu lado, não comove, não agrada, não desempaca. Seus cabelos já não são os mesmos, mas a sua voz...