22 de jun de 2010

República dos Calamares

UMA COISA É UMA COISA...
Ontem, no intervalo de um desses jogos da Copa, durante o lançamento da candidatura de Gedell Vianna, na Bahia, Dilma tentou dizer que além de fazer saber, sabe fazer alguma coisa: "Há uma grande diferença entre experiência eleitoral e experiência administrativa"... E tentou ser loquaz: "Até lamento não ter experiência eleitoral, mas depois de estar à frente de todos os principais projetos do governo Lula, posso dizer que governar eu sei."

Ela deve estar confundindo "governar" com "comandar" e "experiência" com "inexperiência". Ou será que ela já não é mais a Mãe do PAC, uma relação de promessas inauguradas que não saíram do papel? Dilma disse que há uma grande diferença entre experiência eleitoral e administrativa... Pois então e daí? Todo mundo sabe disso. Mas Dilma não disse qual é mesmo a grande diferença. Quem está há oito anos no governo e não pegou o traquejo, não pega mais.

FESTA & FESTA
E depois do Arraiá d'Ele, Lula foi à festa de 15 anos da neta Maria Beatriz Lula da Silva Sato Rosa, filha de Lurian. Ela usava vestido crivado de borboletas e criado pelo estilista Cristiano Alessandro. Entre um passo de valsa e outro, mandou dizer para os flagelados das enchentes em Alagoas, Pernambuco e outros recônditos nordestinos que não estão cheios de Beira-Collors que eles podem usar seu fundo de garantia para compensar as perdas que a enxurrada levou. Com a dinheirama que os pobres coitados vão sacar no banco, logo a região estará cercada de mansões e palacetes.

AGUAPÉS DO PARANOÁ
Para os crédulos, pesquisa do instituto Soma Opinião e Mercado, realizada no Distrito Federal, Joaquim Roriz, locatário de uma sigla nanica tem 42% das intenções de voto para, Agnelo Queiroz agora do PT tem 22%, e Toninho do PSOL 4%. Nas espontâneas para governador, Joaquim Roriz aparece com 21%, 7% de Agnelo Queiroz com 7%, e ninguém fala no Toninho do PSOL. O movimento eleitoral no DF é subterrâneo. Muito mais que propaganda dos candidatos, está valendo a campanha de desmanche de Roriz. Além do Ficha Limpa, ele tem de tudo e mais um pouco para ser impugnado como candidato. Os aguapés estão em ebulição no lago Paranoá.

13 MILHÕES DE OCIOSOS
Não é nada, não é nada, enquanto a bola rola na África, o governo abre a copa por aqui. O generoso Bolsa-famíglia abrigou mais 272.305 lares ociosos no país do "pleno emprego". Levando-se em conta o tal grupo de afinidade - cônjuge, pai, filhos maiores de 16 anos - isso quer dizer, no mínimo, cerca de mais 600 mil votos. As burras públicas marcharão com a bagatela de R$ 1,1 bilhão, com quase 13 milhões de ociosos. Os 8 milhões de aposentados, agradecem os 7,7% de aumento chorado e continuam lamentando o jugo do fator previdenciário que, em oito anos, reduziu pela metade os ganhos dos inativos que trabalharam a vida inteira.
O CHILE NÃO É AQUI
As previsões dos institutos meteorológicos são de chuva durante toda a semana no Nordeste. Principalmente na Bahia, em Pernambuco, Sergipe e Alagoas. Se fosse no Chile, Lula - o que se diz chamar Dilma, já teria voado pra lá.

ATRÁS DO MAL
Brasil tem mais de 86 mil presos por tráfico de drogas. A droga é o que mais leva à prisão no país. Leve em consideração que só estão presos aqueles que são considerados traficantes. Imagine se prendessem os usuários. O triste é que os poderes ainda não se deram conta de que a droga só é bom negócio porque existe o comprador. Sem usuário não haveria tráfico. Já deveriam ter ampliado a estratégia: saiam atrás do viciado.

GUERRA É GUERRA
Lula - que você também pode chamar de Dilma disse na cerimônia da 12ª Semana Nacional Sobre Drogas, que "precisamos travar uma guerra sem dó nem piedade contra o crack". E, como é do seu feitio, passou a missão para as prefeituras. O estranho dessa conversa fiada é que só agora, depois de oito anos de governo, período em que a droga se espalhou por todos os tecidos da sociedade, é que el diz que vai tratar do assunto. Do que será mesmo que Lula - Dilma, para os eleitores - está falando?!?