12 de jun de 2010

Agora vai que vai!

Agora sim, a campanha de Dilma Dossiêff engrenou de vez. Entrou no ritmo do governo Lula, aquele que não vê nada, não sabe de nada, não faz nada. Agora vai que vai.


Diante de mais uma revelação envolvendo o núcleo de comunicação da campanha de Dilma, o presidente nacional do PT, Zé Eduardo Dutra, procurou tirar o partido do olho de mais um furacão. Jurou por presi/deus e uma batata frita que a campanha petista não remunera jornalistas nem técnicos com notas fiscais frias emitidas por uma microempresa sem funcionários.


E aí, para não perder o hábito petista de tirar o corpo fora e apontar um culpado, não teve dó nem piedade de transformar o antigo parceiro, companheiro e aliado Luís Lanzetta em lata de lixo: "Não somos fiscais do INSS. A Lanza não trabalha só conosco. Isso é uma relação privada".


O rolo é o seguinte: as notas fiscais foram emitidas pela Cinco Soluções, que entrou em funcionamento no dia 3 de março em nome de Jeová Alves de Sousa Jr. que, ele mesmo diz, trabalha em nome da Lanza, de Lanzetta.


A Lanza - já se sabe - foi contratada pelo diretório nacional do PT, em Brasília. Lanzetta deixou a campanha de Dilma na semana passada sob suspeita de articular a produção de um dossiê contra o tucano Zé Serra.


Mas o contrato está em vigor até o fim do mês. Dutra fez questão de afastar a figura de Lanzetta da "bichinha palanqueira". Não teve papas na língua: "Lanzetta nunca foi assessor de Dilma ou cuidou da parte de comunicação da campanha, e que a Lanza apenas pagava mão de obra".


Não explicou que mão de obra era essa, nem de onde Lanzetta tinha dinheiro para isso. Se não assessorava, nem cuidava da comunicação da campanha, fazia o quê por lá?!? Só faltou Dutra dizer que ele era só o mala preta


Lá de um palanque, em Tiradentes (MG), Dilma rebateu a denúncia. "Na minha campanha não tem notas frias". Então, tá. As notas são quentes.


E assim é que, mais do que nuncanessepaís, a campanha de Dilma embalou como agora no mais puro estilo do governo que a inventou como candidata. Agora sim, vai que vai.