16 de jun de 2010

Brasil, sem temor servil!

Taí ó, saiu pior que a encomenda! Pela primeira vez o Brasil foi goleado numa estréia da Copa do Mundo. Tomou 1 e fez 2 na Coréia do Norte. Isso é pior do que qualquer empate. Tomar gol da Coréia do Norte é tomar um vareio de bola jamais visto no País do Futebol. A seleção de Dunga foi além do empate vaticinado pela equipe do Liberdade de Expressão.

Pior de tudo é que alguns molengóides aqui da casa, já mostram sinais de contaminação pela mediocridade do grupo de Dunga. Há até quem, olhando as seleções dos outros países, já esteja acometido da ousadia de "dar uma certa razão a Dunga" por ter levado um monte de cabeças-de-bagre para lá.

Nunca antes na história desse país uma seleção foi tão previsível quanto essa do Dunga e seus acólitos, desde que foi abençoada pelo presideus na hora da partida rumo à nação de jabulani.

O que mais dói na alma do brasileiro que realmente entende de futebol é que não pode torcer pelos moleques da Vila Belmiro nem por Ronaldinho Gaúcho. Ele e o Santos estão de folga.

O que incomoda é o excesso de poder que se concentra nas mãos do Cara que, numa hora dessas, é ungido pelo proprietário da CBF, dona do futebol nacional. Seja lá quem for... até mesmo alguém que se deixe chamar de Dunga.

O brasileiro, infelizmente, está se acostumando a engolir os que atendem pelo codinome O Cara. Sem temor servil, o Brasil se curva e se ajoelha diante da força de quem está acima do bem e do mal. E aceita de tudo um pouco: de dungas a postes. Mesmo que não tenham luz própria.