11 de jun de 2010

Lula, o Duelista

Em vez de estar trabalhando, Lula estava palanqueando e discursando. Em Aracaju, Rouquejou de cor e salteado durante 50 minutos o seu velho improviso, em Aracaju (SE) Ele desafiou seus adversários e a imprensa a comparar os feitos do seu governo com os anteriores: "Podem escolher o que vocês quiserem: investimento em educação, quilômetro asfaltado, megawatt instalado, podem comparar os oito anos do nosso governo com 20 anos dos outros governos" - pavoneou-se.


Lula ainda pensa que é candidato. Isso que ele quer dos seus adversários políticos e daqueles que lhe provocam azia, não tem cabimento. O que ele precisa, a essa altura do seus segundo mandato é apresentar os relatórios de atividades, realizações da sua administração que está chegando ao fim com o maior cartel de inaugurações de promessas que a história do Brasil já registrou.

Não faz sentido algum essa disputa de beleza que ele quer provocar entre ele e Fernando Henrique Cardoso. E o confronto é só com FHC, já que com os outros presidentes que o antecederam - Zé Sarney e Fernando Beira-Collor - ele se dá muito bem.

O que falta para o Brasil agora é gritar "abre-te Sésamo!" e botar as mãos em um dossiê completo da ação incomparável de Lula e seus 40 ministros - verdadeiro tesouro escondido até hoje da população brasileira.

O resto é bravata de quem dá o tapa, não pode esconder a mão e apela para o duelo. Da parte da imprensa ultrajada, as armas já estão escolhidas: um dossiê pra cada um. O local pode ser o Palácio do Planalto, ou a Casa Civil. A hora... qualquer uma, desde que seja logo em seguida e à lus do dia, porque à noite todos os gatos são pardos.

Ah, sim... Quem concorre à Presidência da República é Dilma. E Dilma não é Lula. Não é mesmo. Até porque, quando o chefe dos 40 mensaleiros precipitou lá nos primórdios do ano passado o slogan "Dilma é Lula no governo de novo", mandaram-no enfiar a viola no saco - que em boca fechada não entra mosca; calar o bico - que bico é coisa de tucano.

RODAPÉ - Quem é que disse que realizar obras não é mais do que obrigação de um governo?!? Quem é que disse que toda obra - de sanitários de praia a cercas de arame farpado em acampamentos do MST - precisa de festa de inauguração, discursos e gabaolices?!? Quem já fez as contas de quanto custa às burras públicas essa gandaia marqueteira?!?