22 de out de 2010

O Cara

CADEIRA VAZIA
O site "Contas Abertas" municiou o Garanhão de Pelotas com a informação de que de 2003 para cá, o governo Lula desembolsou R$ 5,4 bilhões com as chamadas "relações diplomáricas". Esse foi o custo registrado - afora cartões corporativos e bolsas kellys - para que Lula conseguisse uma cadeira para se sentar na ONU assim que ficasse desempregado no ano que vem. Quando viu que não tinha bala na agulha para chegar a tanto, contentou-se com o epíteto de O Cara, uma espécie de apelido tipo assim Tiririca que lhe foi concedido por Barack Obama.

ERROU DE NOVO
Para quem acredita no Ibope, ele está dizendo que "eleitor de Dilma mira consumo e o de Serra, saúde". Na verdade o eleitor de Dilma mira fita crepe na careca do Serra; e o de Serra mira saco de uréia, ácido úrico, sal e água na peruca da Dilma. Como sempre, o Ibope está errado.

O ARREMESSO
Se Lula fosse ainda o metalúrgico aquele que subia nos portões das fábricas, não teria atirado uma bolinha de papel, nem um rolo de fita crepe na careca de Serra; muito menos um saco com água. Teria jogado um travesseiro cheio de penas para o ar. Tem mais a ver com a sua natureza, digamos, presidencial.