25 de out de 2010

Fiz um bate-volta nesta segunda-feira a São Paulo. De manhã, na chegada em Congonhas e na volta à tarde a Brasília falei com o pessoal do check-in, com carregadores de malas e bagagens, com passageiros pra lá e pra cá, com a turma da fila de táxi, com motoristas, empresários da indústria, prestadores de serviço e trabalhadores de vários ramos de atividade.

A pergunta era simples: - Quem você acha que vai ganhar, domingo: Serra ou Dilma? E a resposta estava na ponta da língua: - Acho que ela ganha... Mas eu vou votar no Serra! - emendavam sem nenhum constrangimento.
É devastador o efeito que a divulgação das pesquisas de opinião cometidas pelos quatro institutos velhos de guerra provoca nos eleitores. Mais que avassalador é criminoso.

Como é que o TSE permite que só esse quatrilho realize pesquisa eleitoral, não dá para entender...

Pelo que me disseram nesse toma-lá dá-cá de início de semana, o paulistano vai votar em massa em Zé Serra e o paulista de fora a fora também, mas eles acham que Dilma vai ganhar. O efeito pesquisa é mortal. E canalha. Tem a cara do que é o Brasil da Silva.

RODAPÉ - Não há nada mais fácil do que fazer uma pesquisa flagrante. E sem fazer ninguém de bobo.