3 de ago de 2010

Apelo de Lula a Ahmadinejad soou como um Tiro para o Carioca

O companheiro Mahmoud Ahmadinejad mandou uma banana e puxou o tapete do grande mediador internacional Lula da Silva. Não abre mão de mandar matar a pedradas a iraniana Sakineh Ashtiani que foi flagrada sakinehiando o marido. O pior é que em cima do tapete estava a cadeira da ONU que o presideus tanto deseja ocupar.


Na reunião do Merdosul, em San Juan na Argentina, Lula continuou bancando o equilibrista. Explicou que "acredito que só Deus pode dar a vida e só Deus pode tirar a vida".

E disse isso assim com jeito de quem acabou de escrever a Bíblia. Ahmadinejad nem vai dormir esta noite, só pensando o que vai fazer com o estoque de bodoques que já mandou distribuir à massa, fanática por tiro ao alvo.

Esta é a segunda vez que Ahmadinejad faz ouvidos moucos para Lula. A primeira foi aquela do Fiasctóide do Urânio Enriquecido. Finge que escuta e depois reage que nem carioca quando ouve um tiro: espera que entre por um ouvido e saia pelo outro.

Se Lula pretendia mostrar ao mundo que poderia aquecer a cadeira da ONU pela sua capacidade de influenciar ditadores e fazê-los camaradas bons e batutas, vai ter que se contentar com um assento no Conselho da PTrobras, onde ninguém tem que entender bulhufas de petróleo e, muito menos, precisa trabalhar para ganhar os tubos.