8 de nov de 2010

PIOR
É tão velho quanto verdadeiro o alerta popular que ensina: "De onde mais se espera que saia o pior, é justamente dali que vem o pior". Pois o DEM à beira do abismo dá o passo em frente: quer fundir-se com o PMDB. E o Brasil que se funda! Estava mesmo errado o Tiririca - pior do que tá ainda fica.

BENGALA
Nada é mais poderoso em uma democracia do que um partido que não precise da bengala dos outros para ser forte.

JAMEGÃO DO CARA
Duas notícias, uma boa e outra ruim. A boa, Lula da Silva e sua criatura Dilma não querem votar a recriação da CPMF neste ano; a ruim, eles vão trabalhar para que o Congresso defina em 2011 uma nova fonte de receitas para a saúde. Esse é o codinome para o velho imposto do cheque. Isso dito assim, não é nada. Mas, tem um detalhezinho: Lula só é presideus até 31 de dezembro. Depois, será apenas uma "ex-pessoa não comum". Se quiser continua se metendo na vida da gente, vai ter que entrar num desses abaixo-assinados gigantes defendendo a criação de mais um imposto, um tributo, uma taxa sobre cheques ou sobre o consumo de combustível, bebida ou cigarro. Aí sim, pode meter o jamegão com a cara do presidente de honra do PT.

IMENSO LARANJAL
Dilma, a nova Dona Solange que usa Franklin Martins, o Tesourão, como laranja para monitorar e tolher a liberdade de expressão no Brasil, pode usar Lula como laranjão para criar mais um imposto para botar na conta do contribuinte brasileiro, alegando que vai todo para a saúde desse imenso laranjal. Quem há oito anos deixou a saúde pública do jeito que está, não tem respaldo nem é Roberto Carlos para dizer que daqui pra frente, tudo vai ser diferente...

O GOVERNO NOS DEVE SAÚDE
O brasileiro é mesmo um inocente útil. Sonha em poder, um dia, ter seu plano privado de saúde. Já esqueceu que deveria sonhar com uma saúde pública igual à saúde que desfrutam os políticos ativos e passivos, os governantes e seus militantes. Câncer de mama para essas "pessoas não-comuns" é uma teta; linfoma é coisa que escorre fácil pelo sistema de proteção das elites; dengue, febre amarela, mal de Chagas, catapora, tuberculose, são gripes corriqueiras que passam ao largo de suínos e suínas. Mais do que esquecer de sonhar, o brasileiro não se lembra mais de exigir do governo e dos seus donos que cumpram a Constituição: saúde é um dever, uma obrigação do Estado. Saúde é o que o governo mais deve ao Brasil, porque foi o que mais tirou dos brasileiros.