3 de nov de 2010

Nada é o que parece...

Temer e Dutra fecham acordo para rodízio na Câmara e Senado.

A Agência Brasil - órgão de notícias do governo, já emplacou o primeiro release da fase de transição. E vem a ducha de água fria na primeira fervura dessa grande etapa de alta costura: na base de um bom jantar, queijos e vinhos o presidente do PT, Zé Eduardo Dutra, e o novo vice-presidente da República, Michel Temer, fecharam acordo para estabelecer um “rodízio” entre os dois partidos na presidência da Câmara e do Senado, durante o próximo governo.

Ficou combinado que as duas legendas se alternarão na presidência das duas casas legislativas. “Fechamos este acordo para que possamos ter um governo tranquilo”, falou de barriga cheia Michel Temer, ainda presidente da Câmara, posando para a posteridade logo depois do regabofe que ocorreu na residência oficial da Câmara, em Brasília.

Puro jogo de cena. A comilança foi papo, tempo e dinheiro público jogado fora. Os dois deixaram para decidir depois qual dos dois partidos assumirá primeiro a ambicionada presidência das duas maiores casas de tolerância desse país. Essa era justamente a grande questão, o fruto da discórdia: os dois partidos se conhecem muito bem; um não confia no outro. O que prometem agora, sempre pode ser impossível de cumprir amanhã.

Assim é que tudo fica como estava até agora, só para ver como é que fica. Ficou combinado que tudo fica a combinar. A guerra está declarada. Foi apenas jogada para o fundo do porão. Mais do que para os bastidores, para o subterrâneo dessa nova era que, com certeza, vai mudar o Brasil. Para o bem ou para o mal. Você, um dos 55 milhões, já decidiu pelos outros 45 milhões de brasileiros. Quanto a Michel Temer e Zé Eduardo Dutra, esses dois só comeram e brindaram à nossa custa.