10 de nov de 2010

EXTRAORDINÁRIO?!?
Depois de desdenhar do mais recente fiasco do Enem e rouquejar que a prova tinha sido "um sucesso extraordinário", Lula agora diz que "nenhum jovem deixará de entrar na universidade pelo problema do Enem". Oque é isso, companheiro?... Afinal, o Enem foi um sucesso, ou um fracasso "extraordinário"?!?

ARTISTAS DE CIRCO
Falando em Maputo sobre a prisão de um dos chefes da Receita Federal no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (SP) e mais uma pandilha de 22 pessoas, por suspeita de fraudar importações, Lula disse que o fato revela a seriedade do trabalho da polícia brasileira. E regorgou: “Seja quem quer que seja – do presidente ao menor servidor público – só tem um jeito de não ser molestado: é andar na linha.”. Não é nada, não é nada, esse governo está cheio de equilibristas. Erenice, não; Erenice é malabarista.

BANCO, NÃO... BAÚ
Lula diz que a quebradeira do Banco Panamericano, do Sílvio Santos, não é com o presidente da República, é com o Banco Central. Ele e o dono do SBT são só sorrisos. Naquela visita de Silvio ao Palácio do Planalto, às vésperas da eleição, só trataram do Baú da Felicidade.

Carregado nas costas pelo palhaço Tiririca, Valdemar da Costa Neto é a cara da Câmara da nova República. Ele já começou a cutucar o governo de transição. Quer espaço para o PR no ministério de Dona Dilma Vana. Tem, digamos, dossiê pra chegar a tanto.

SÓ OS NOSSOS
Ministério não é propriedade de ninguém, disse o presidente do PT. Falou como quem não quer deixar de ser dono dos ministérios que já tem.

VAI PEGAR MAL
Comissão do Senado aprova projeto que flexibiliza horário da 'Voz do Brasil'. Isso quer dizer algumas coisas. Uma delas, é que esse programa enfiado goela abaixo dos brasileiros vai ter vida longa; outra, é que agora o ouvinte vai ser colhido desprevenido e, quando menos espera, está sintonizado naquela chatice que conta a história oficial.

BILHETERIA
Só 14% dos brasileiros vão ao cinema. Governo quer redistribuir incentivo à cultura. Peralá, vai dizer que só depois de oito anos é que o governo Lula descobriu que não vinha distribuindo direito a grana?!? Para Dilma, isso vai ser só mais uma "herança do governo anterior". Quanto ao fracasso de bilheteria, basta relançar o sucesso absoluto "Lula - O Filho do Brasil". Garantia de casa cheia.

NO PAPEL
JB Digital será só para assinantes a partir do dia 16. Esse é o primeiro caso em que um projeto de jornal sai do papel e desaparece. Bem diferente do PAC que já some no papel.